Mariana Carvalho declara apoio ao PL Lucas Santos contra o ataque de haters a crianças e adolescentes

Mariana recebeu a cantora Walkyria Santos, mãe de Lucas que foi vítima de ataques pela internet

A cantora paraibana Walkyria Santos, conhecida em todo Brasil por seu trabalho solo e com a Banda Magníficos, se tornou um símbolo na luta por uma legislação que visa combater a ação de haters contra crianças e adolescentes nas redes sociais. Ela perdeu o filho de apenas 16 anos, vítima de suícidio após uma enxurrada de comentários preconceituosos e carregados de ódio por causa de um vídeo que foi postado por ele no Tik Tok, aplicativo que é uma febre entre os jovens.

Nesta semana, apenas uma após a morte do filho, Walkyria reuniu forças e foi a Brasília lutar pela aprovação de uma lei contra o chamado cyberbullying, para punir os haters. A proposta foi apresentada pelo deputado federal Julian Lemos (PB) e ganhou o apoio de parlamentares de diversos estados e partidos.

De Rondônia, a deputada Mariana Carvalho garantiu seu apoiamento à causa e a um pedido de urgência para que o projeto seja votado o quanto antes. O PL Lucas Santos (PL 2699/21) prevê a criminalização da prática de ‘haters’ no mundo virtual, com pena de um a quatro anos de prisão, além de multa, para quem disseminar ódio ou proferir comentários discriminatórios que causem danos à integridade psíquica da criança e do adolescente.

“Recebi a Walkyria em meu gabinete. O que ela está passando é de partir o coração, vivendo a dor do luto e da saudade de seu filho de apenas 16 anos. Sua história comoveu a mim e a todo o Brasil e precisamos fazer algo”, afirmou a deputada.

Mariana lembra que atualmente, segundo a Organização Mundial da Saúde, o suicídio é a terceira causa de morte entre os jovens de 15 a 29 anos no Brasil. “O bullyng, a perseguição nas redes, os discursos de ódio, tudo isso tem afetado os nossos jovens”, ressaltou.

A parlamentar destaca que o Parlamento tem o dever de agir e construir uma legislação no sentido de conter esse tipo de situação. “Isso não pode ficar assim e não pode continuar se repetindo. Precisamos dar um basta e uma resposta à Walkyria, pelo Lucas, e a todos que já foram vítimas desses ataques de ódio pela internet”.

O pedido de urgência para que o PL entre na pauta de votações da Câmara deve ser votado nos próximos dias.

Posts Recentes