Atletas brasileiras dão show em Tóquio, mas esporte feminino precisa de recursos e incentivo no Brasil

PL de Mariana Carvalho pretende garantir uma fonte de recursos para as modalidades femininas


PL da deputada Mariana Carvalho pretende garantir uma fonte de recursos para as modalidades femininas

As atletas brasileiras bateram o recorde de medalhas já conquistas pela delegação feminina do Brasil em uma Olimpíada. Já são oito medalhas conquistadas pelas mulheres, superando a marca do torneio de Pequim, quando conquistaram sete. Além disso, a maioria das medalhas de ouro foram alcançadas por elas. Mas, a realidade do esporte feminino no Brasil está muito longe de ser a ideal. Pouco incentivo, recursos escassos e preconceito ainda são entraves.  

Um projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados pretende garantir uma fonte de recursos permanente para as modalidades femininas. É o PL 4089/19, da Deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO), que assegura a destinação de pelo menos 30% dos recursos recebidos pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) – verba essa proveniente dos lucros das loterias federais.

A autora explica que o intuito é tornar mais justa a distribuição dos recursos destinados ao esporte e ressalta que a proposta não diz respeito à ampliação de despesas pelo Poder Pùblico. “Apenas busca equilíbrio, incentivando e motivando a participação feminina no esporte”.

Mariana destaca que o esporte ainda recebe pouco incentivo no Brasil e que em relação às modalidades femininas a questão é ainda mais grave. Atualmente, uma pequena parte dos recursos das loterias é destinada ao esporte.  Mas não há nada que garanta sua aplicação no esporte feminino. 

“Foi pensando nisso que apresentei o Projeto de Lei, para que pelo menos 30% dos recursos recebidos pelo COB e CBP vá para o esporte feminino”, explicou a deputada. 

De acordo com dados da Caixa Econômica Federal, em 2017, os repasses ao COB e ao CBP totalizaram mais de R$ 350 milhões. “É importante garantirmos que parte desse recurso seja aplicado no financiamento de modalidades esportivas praticadas por mulheres, como forma de minimizar a desigualdade de apoio em relação ao esporte masculino”, reforçou Mariana.

O Projeto já foi aprovado pelas comissões de Direitos da Mulher e de Esporte. Em seu parecer, o relator na comissão de Esporte, Deputado Júlio César Ribeiro (Republicanos-DF), afirmou concordar com a autora que os recursos destinados para o desenvolvimento do esporte feminino no Brasil ainda são pouco expressivos, sobretudo quando comparados aos valores costumeiramente destinados ao esporte masculino. 

O projeto está atualmente parado na Comissão de Constituição e Justiça. A relatora no colegiado é a deputada Caroline de Toni (PSL-SC). 

Posts Recentes